29 abril 2007

Pai ausente pagará multa

Por determinação do juiz da 3ª Vara de Família de Ribeirão Preto, um pai separado que não visitar filha terá que pagar multa por cada dia que faltar ao compromisso. O réu, segurança de 38 anos, pagará R$ 75 por visita que deixar de fazer a filha de oito anos.
A menina, que mora com a mãe – ex-seposa do segurança – deverá ver o pai de 15 em 15 dias. Na sentença, o juiz afirmou que as Varas de Família consideram a visita do pai ao filho, em primeiro lugar, um direito da criança, e não do pai.
Segundo o advogado da autora, a ação foi proposta depois que se percebeu a tristeza da filha quando o pai não ia vê-la nos dias marcados. Em sua defesa, o segurança alegou que não comparecia à casa da filha porque sempre que fazia as visitas era agredido pela ex-mulher. O casal está separado há um ano e sete meses.
De acordo com o advogado do réu, ele tem a intenção de visitar a filha nos horários marcados. O segurança já teria feito um acordo com a ex-mulher para ir ver a criança levando em conta seus horários de trabalho.
Para o juiz, a decisão de estipular multa em casos como esse não é comum, mas também não é tão rara. "No caso de Ribeirão, levamos em conta que a criança estava sofrendo e queria a presença do pai, independentemente se era na marra ou não."

2 comentários:

Karla disse...

Sou estudante de Direito e achei
Pouco justa a sentença do juiz! A criança é inocente, ama e sente falta do pai, é claro. E sendo ignorada pelo mesmo, poderá acarretar futuros traumas de infancia e até preconceitos (minha propria experiencia na minha infancia). Acho pouco, o valor estipulado pelo descumprimento do acordo. A dor da saudade do pai e do sentimento de rejeição que fica marcado na criança, não tem preço.

Eu passo a mesma coisa com minha filha de 3 anos, que ultimamente, pergunta para alguns homens que fisicamente parecem com seu pai, se ele é o pai dela.
Ela está a procura do pai que sumiu, não sei se ela fica triste pq ela é muito sapeca e se sente amada por mim e pelos meus familiares. Mas nessa hora doi tanto pra mim. Sinto raiva, indignação, culpada por não ter dado a ela um pai descente e exemplar.

Prof. Gil, entre em contato comigo: karlabravox@hotmail.com

Obrigada

Edilene disse...

Prof. Gil, estou separada a poucos meses meu ex marido se envolveu com outra pessoa e se recusa a ficar com os filhos, e ameaça: se quiserem ficar comigo terao que ficar com ela tambem ou entao nao fico com voçês. Nao sei o que fazer, me ajudem!